Facebook Ads – 14 coisas que estás a fazer mal e como podes corrigi-las

Ecrã com ímã atraindo emojis

O Facebook Ads é a ferramenta paga do Facebook que te permite criar campanhas e promovê-las, tanto no Facebook como no Instagram. Mas, se estás a criar campanhas, já deves saber isso. Vamos então abordar os principais erros cometidos nesta plataforma e o que precisas de saber para os evitares.

1. Segmentação do público

É muito comum que a segmentação do público-alvo da campanha não seja feita da forma mais eficaz. Aqui estão alguns pontos que deves considerar quando defines este parâmetro na criação de uma campanha de Facebook:

  •  Conhecer o teu público-alvo é o primeiro passo para a criação de uma campanha eficaz. É importante que tentes conhecer os hábitos de consumo, interesses, localização geográfica, faixa etária e vários outros fatores sobre os teus potenciais clientes. Para isso, faz pesquisas de mercado – nunca assumas que os interesses do teu público são iguais aos teus. Garante que te baseias em dados reais.
  • Deves ter em consideração o tamanho do público-alvo da tua campanha: não deve ser nem muito amplo, nem muito reduzido. Usa e abusa do ponteiro que o Facebook apresenta, que te indica o alcance potencial do teu anúncio e garante que defines uma audiência com um tamanho apropriado. Se a dimensão apresentada for demasiado ampla usa interesses, cargos, género, idade e/ou localização para filtrar o público do teu anúncio. Para além disso, é importante teres em conta o orçamento que tens disponível para a campanha e adaptar a dimensão da audiência consoante esse fator.
  • Outra coisa que deves saber é que nem sempre os interesses que selecionas na criação da tua campanha correspondem aos “gostos” que os utilizadores puseram em páginas de Facebook – também incluem as pessoas que mostraram interesse nesse tema ou nessa empresa/marca através de outras atividades online.
  • A dimensão de cada interesse também varia bastante e existem alguns com dimensões muito amplas. Nesses casos, é necessário segmentar melhor a audiência, selecionando outras opções – por exemplo, através da opção “Filtrar Público”, em que o Facebook te permite selecionar alguém que tenha um determinado interesse/cargo/comportamento, mas que, em simultâneo, também tenha outro interesse/cargo/comportamento.
  • Se a tua campanha for internacional, não te esqueças de adaptar o idioma e o conteúdo, consoante a cultura e os hábitos do país de destino do anúncio.

2. Análise da Concorrência

Analisa com frequência o que a tua concorrência está a fazer – o que estão a publicar, que anúncios pagos estão a fazer e como comunicam com os seus clientes.

3. Criatividade do anúncio

Torna-se cada vez mais difícil conseguir que um anúncio se destaque no meio de tantas publicações nas redes sociais. Existem alguns pontos que deves considerar quando estás a criar a imagem ou o vídeo e o texto do teu anúncio:

  • As tuas imagens ou vídeos devem respeitar as dimensões recomendadas pelo Facebook para que tenham a qualidade necessária que permita que o visualizador perceba o conteúdo neles apresentado.
  • O criativo deve ser apelativo para que chame logo a atenção de quem o está a ver e possa converter – tem atenção às ilustrações e às cores que utilizas e não incluas muito texto nas imagens. Podes incluir o teu logotipo no criativo – mesmo que as pessoas não conheçam a tua empresa ou marca, é uma forma de a dar a conhecer.
  • Não deves enganar o público, prometendo coisas que não são verdadeiras.
  • Os testes A/B são uma boa opção para perceberes quais os criativos que funcionam melhor em termos de adesão, de CTR (Click Through Rate) e de CPC (Custo por Clique).
  • A mensagem que usas é outro fator muito importante. Esta não deve ser muito longa, mas deve ser direta e informativa – garante que incluis o ponto crucial que queres comunicar, para que a pessoa do outro lado do ecrã clique na imagem. Não te esqueças de adaptar a tua escrita ao público – pondera se deves utilizar uma linguagem mais técnica ou mais informal.
  • Varia o material: não uses sempre o mesmo material. O público não vai querer estar sempre a ver a mesma coisa e os resultados tendem a diminuir. Para além disso, corres ainda o risco de perder seguidores e potenciais clientes.

Aprende os básicos do marketing de conteúdo neste artigo

4. Otimização dos anúncios

Outro erro comum na criação de anúncios de Facebook é não adaptar, atualizar ou corrigir os anúncios ao longo da sua duração.

  • É importante que acompanhes diariamente as campanhas e que vás fazendo pequenas otimizações que te permitam melhorar o seu desempenho.
  • A fase de aprendizagem do anúncio é um fator que deves ter em atenção – quando o anúncio passa a estar em “aprendizagem limitada” significa que não está a receber eventos de otimização suficientes. Podes otimizá-lo através de pequenas alterações no público-alvo e/ou do aumento do valor do orçamento diário.
  • Para adaptares o público-alvo da tua campanha, podes analisar as estatísticas do anúncio e ver qual o intervalo de idades ou qual o género que gerou melhores resultados.

5. Escolha de Objetivos

Uma das coisas mais importantes quando fazes uma campanha é definir objetivos, metas de conversão e um orçamento, para que depois possas medir e analisar os seus resultados.

Deves também definir as métricas que são mais importantes para ti e para o teu negócio e ir acompanhando os seus valores.

6. Landing Pages

As Landing Pages são ferramentas muito úteis e ainda muito pouco utilizadas.

Uma Landing Page é uma página que contém toda a informação necessária, mas resumida, do produto ou serviço que estás a promover. Podes direcionar os utilizadores para esta página, através do anúncio, em vez de os direcionares para o website. Geralmente, contêm um formulário que os visitantes podem preencher, onde deixam os seus contactos.

A probabilidade de o clique converter através de uma Landing Page é superior.

Aprende mais sobre a criação de um website e landing pages neste artigo.

7. Calcular Orçamento

A definição do orçamento para uma campanha pode representar um desafio, mas existem alguns pontos que deves ter em conta.

  • Não deves definir um orçamento muito baixo para uma campanha. Por vezes, mais vale definir um orçamento mais elevado e encurtar a duração da campanha, do que deixá-la ativa durante mais tempo com um valor inferior.
  • Quando defines o teu orçamento, deves também ter em conta a dimensão do público – se for muito amplo, a definição de um orçamento diário demasiado baixo pode comprometer a eficácia do teu anúncio.

8. Uso de um único Conjunto de Anúncios

Este é um erro comum de principiantes. Não deves ter todos os anúncios concentrados num único Conjunto de Anúncios.

Provavelmente, o Facebook vai atribuir valores diferentes aos teus anúncios dentro do mesmo Conjunto. Ou seja, vai dificultar a tua tarefa de análise dos anúncios e vai fazer com que tires conclusões erradas. Aposta na criação de diferentes conjuntos de anúncios.

9. Testar

  • É importante testar vários componentes dos anúncios. Mas atenção, nunca testes dois ou mais fatores ao mesmo tempo – vais acabar sem saber o que é que resultou e o que é que não resultou.
  • Os testes ajudam-te a perceber as audiências mais indicadas para o teu negócio, que tipos de conteúdos essas audiências preferem e quais os seus interesses. Podes testar fatores como: as imagens, o copy, os Call To Action e até mesmo as Landing Pages.
  • Deixa o anúncio ativo durante +/- 72 horas sem fazeres nenhuma alteração – o algoritmo do Facebook precisa de tempo para “aprender” o teu público e gerar resultados. Para além disso, é pouco provável que consigas tirar conclusões fidedignas acerca das preferências da audiência se o anúncio tiver ativo pouco tempo.

10. Anúncios chatos

É importante que tenhas em conta que as pessoas não usam as redes sociais para ver anúncios. Por isso, convém que os teus anúncios não sejam aborrecidos:

  • Não uses textos repetitivos.
  • Não ocupes as tuas imagens com muito texto.
  • Não uses muitos Call to Action
  • Não deixes o mesmo anúncio ativo durante muito tempo.
  • O conteúdo também é importante!

Embora seja difícil medir se as pessoas já viram o teu anúncio demasiadas vezes, uma das coisas que o indica é quando fazes otimizações nos anúncios e os resultados não aumentam.

11. Pixel do Facebook

O Pixel é uma ferramenta que o Facebook disponibiliza, que podes (e deves) colocar no teu website, que te permite recolher mais dados acerca das pessoas que o visitam e do que fazem enquanto lá navegam.

Esta ferramenta permite-te, por exemplo, contabilizar quantas pessoas adicionaram artigos ao carrinho, quantas efetuaram a compra e quantas abandonaram o carrinho sem a concluir.

12. Escolha do Objetivo do Anúncio

É bastante comum que as pessoas escolham o objetivo errado para o anúncio que estão a criar. Primeiro, deves definir qual é o teu objetivo com o anúncio: o que é que tu pretendes com esse anúncio? Depois alinhas isso com as opções que o Facebook apresenta e selecionares o objetivo com mais sentido para o teu negócio e para esse anúncio específico.

13. Resultados e Métricas

Muitas pessoas criam anúncios e depois não analisam os resultados e métricas importantes.

Deves definir quais as métricas mais importantes consoante o tipo de anúncio que publicaste e analisá-las regularmente para perceberes onde e como podes maximizar os teus resultados.

14. Pontos de Destaque da Oferta

Faz questão de explorar os pontos de destaque da tua oferta. Deves destacar no teu anúncio os principais fatores que te diferenciam da tua concorrência.

Testar, testar, testar

Antes de criares uma campanha, deves definir o público-alvo, o orçamento e os objetivos do anúncio. Durante a sua duração, não te esqueças de testar vários fatores (uma coisa de cada vez), acompanhar os resultados e fazer algumas otimizações, quando necessário.

Não te esqueças, não há só uma forma de fazer as coisas – experimenta coisas diferentes e tira conclusões acerca da melhor maneira de abordar o teu público.

Tens uma loja online? Então descobre como utilizar o e-mail marketing para fidelizar clientes